O estado atual das artes marciais

Qual o estatuto atual das artes marciais? Que tipo de papel poderão exercer na formação dos jovens? Talvez nunca como agora tenham existido tantas condições para que a prática se torne generalizada, mas é necessário que as academias apostem no marketing.

Relativa desinformação

Para todos aqueles que nunca tenham praticado artes marciais, o cinema pode desinformar. As artes marciais são tomadas por um conjunto de técnicas de luta que permitem, aos mestres, derrotar 10 adversários em simultâneo. É certo que todos os grandes títulos deste género incluem, no argumento, os valores e as filosofias que guiam as artes marciais; o clássico “Karaté Kid” é um bom exemplo, e o mestre Myiagi é para toda uma geração a figura do mestre por excelência. Contudo, desde Bruce Lee que são as grandes cenas de combate rápido que mais ficam na memória dos espetadores. Sendo este o caso, é sem dúvida uma visão redutora daquilo que o estudo de uma arte marcial pode trazer ao seu praticante.

Ultimate Fighting Championship

Os sentimentos em torno de torneios mediáticos de artes marciais, como é o caso do Ultimate Fighting Championship (UFC), são mistos. As tendências demonstram que o UFC, que foi fundado por grandes mestres de artes marciais, como é o caso da família Gracie, tende a crescer em popularidade a nível mundial. Contudo, o seu caráter estritamente desportivo leva alguns a sentir que, junto do grande público, se está mais uma vez a adulterar o verdadeiro espírito das artes marciais.

Academias e o papel da internet

Por todo o mundo, e nomeadamente em Portugal, existe uma boa disponibilidade de instrutores de artes marciais. Se nas principais cidades é possível escolher entre várias artes e escolas, mesmo nas pequenas existe quase sempre pelo menos um instrutor local de shotoimageskan, taekwondo ou muay thai.

A internet pode funcionar como faca de dois gumes nesta questão. Por um lado, enquanto opção de entretenimento, tem impulsionado o crescimento do sedentarismo, especialmente entre os jovens; por outro, pode ser uma forma de as próprias escolas e academias de artes marciais se darem a conhecer e conquistarem novos interessados.