Artes marciais com bastões

As artes marciais com bastões, ou varapaus, são uma das categorias mais difundidas a nívpncqvhETtzMJNDDcu5btJAcRTl6aAKITel mundial. Em todas as civilizações, o varapau é uma das armas mais simples e fáceis de utilizar, bem como de obter, bastando um bom pedaço de madeira; frequentemente, tornou-se uma arma disponível para os indivíduos ou classes sociais que não podiam obter espadas ou armas mais caras. Vejamos alguns exemplos a nível mundial de artes marciais praticadas com bastões.

Jogo do Pau

Esta arte marcial é típica do norte de Portugal e da Galiza, embora existam atualmente, poucos praticantes. O jogo do pau provém da tradição das zonas rurais de Portugal, quando o pau comprido era uma ferramenta de uso corrente. Nas competições atuais, o comprimento habitual do varapau é de cerca de 1,50 metros.

Tahtib

Diversos documentos históricos apontam para a prática de uma arte marcial com pau no Antigo Egito, chamada Tahtib. Nos tempos atuais, um movimento tem vindo a fazer renascer o Tahtib no país, utilizando um varapau de 120 cm.

Calinda

A Calinda é um misto de arte marcial com dança, praticada no arquipélago de Trindade e Tobago, nas Caraíbas. Na Calinda, os movimentos e golpes de luta com o pau transformaram-se, ao longo dos tempos, numa dança ritualizada, à semelhança da Capoeira no Brasil. Não obstante, ainda se realizam lutas de Calinda em Trindade e Tobago, e para vencê-las não basta a sorte (como sucede a quem experimenta os jogosdecasino.pt, sendo também necessária muita perícia e presença de espírito.

Eskrima

Nas Filipinas, existe ainda a chamada “cultura da lâmina” (blade culture), uma vez que a grande maioria da população, vivendo e trabalhando em zonas rurais, carrega consigo ferramentas que podem ser usadas como armas. Em todo o caso, a arte marcial nacional do país (o termo “eskrima” deriva do espanhol “esgrima”, embora também se chame “kali”) inclui igualmente o domínio do varapau. Como em outros países, o bastão é nas Filipinas uma arma de esgrima utilizada pelas classes populares.

Nguni

Entre o povo Zulu da África do Sul, uma arte marcial ancestral atribui ao lutador dois paus: um longo para atacar, e um mais curto para se defender. Crê-se que a técnica tenha nascido precisamente entre pastores, para os quais os varapaus fossem a ferramenta de trabalho habitual. O praticante pode usar igualmente, para defesa, um escudo. Nelson Mandela, antigo presidente da África do Sul e figura histórica do século XX, praticou nguni na sua infância.