A origem das artes marciais

As artes marciais são uma das expressões culturais que se podem considerar quase como “inerentes” à espécie humana, uma vez que se encontram em todas as culturas e civilizações desde os primórdios da História. É desde a Antiguidade Clássica que os registos históricos transmitem o conceito de conjuntos de técnicas de luta codificados e sistematizados.

China

Sendo o “centro” do interesse mundial pelas artes marciais, principalmente graças ao cinema relativo a este tema, o certo é que a China possui uma tradição marcial rica e diversificada. O termo “kung fu”, que é geralmente tomado como uma disciplina só, é na verdade um termo genéShaolin-Kung-Fu-11rico que abriga uma multiplicidade de artes marciais distintas.

Acredita-se que a arte marcial mais antiga tenha nascido na China, há mais de 4000 anos. Pouco conhecido fora do país, o Schuai Jiao é praticado até à atualidade. Data do século V a.C. um documento que se refere explicitamente a técnicas de combate corpo a corpo, sem recurso ao uso de armas, na China. Mais tarde, durante a dinastia Tang (Idade Média), há igualmente relatos de “danças com espadas”

Grécia e Roma

O pancrácio foi uma das modalidades desportivas incluídas nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, nos quais só os Gregos podiam participar. Mais tarde, em Roma, os combates de gladiadores foram um dos divertimentos públicos mais difundidos e apreciados.

Índia

A história da Índia clássica é conhecida, em boa parte, através de duas grandes obras, escritas na língua sânscrita: o Ramáiana e o Mahabharata. Este último descreve um combate que inclui tanto o recurso a armas como a técnicas manuais.

Japão

No país do sol nascente não existem registos tão antigos como em outras civilizações, mas é facto histórico que desde os princípios da Idade Moderna, a casta dos samurais e o seu sistema de valores ocuparam uma posição proeminente na organização da sociedade japonesa. Tanto os princípios samurais (de honra, dever, treino intenso e sacrifícios) como o desenvolvimento de outras artes, como o karaté, deveram bastante à influência cultural chinesa, que “iluminou” o Extremo Oriente ao longo de séculos.